Ordem:
Família:

Anura

Allophrynidae

Allophryne relicta

Em breve

Status de conservação:

IUCN:

Lista Nacional:

Projetos e ações

Aguardando essa informação.

Unidades de conservação

Ainda não encontramos.

DESCRIÇÃO​

Ainda não encontramos.

Localidade Tipo:

Uruçuca, Bahia

Holótipo

MNRJ-75468

Parátipos

MNRJ 75469-75471;
MNRJ 84047-84048;
CFBH 29207-29209;
MZUESC 9225-9227;

Artigo de descrição

Variações da espécie / Morfotipos

Ecologia e história natural

Espécimes de Allophryne relicta foram encontradas após fortes chuvas. Pequenas aglomerações de 10 a 20 indivíduos em folhas de arbustos nas margens de um fluxo de água temporário de aproximadamente 2 m de largura. Os indivíduos permaneceram no curso de água por um período de tempo curto.
Ativos apenas no período noturno com chuvas torrenciais que resultaram no enchimento da poça temporária. Na noite seguinte às chuvas fortes, apenas poucos machos se encontraram esporadicamente no sítio de vocalização, o que tornou o territorialismo difícil de determinar. O fluxo que surgiu anteriormente secava e permaneciam apenas algumas poças.
Assim, a reprodução é explosiva. Esse fato pode explicar o porquê de essa espécie não ter sido descoberta em estudos anteriores conduzidos na região.
O sítio reprodutivo consiste nas bordas de fluxos de água e poças temporárias.

Ameaças

Aguardando essa informação.

Etnobiologia

Aguardando essa informação.

Tipos de Ambientes

Galeria de ambientes

Biomas / Eco-regiões

Mata Atlântica

Vocalização

Descrição do canto

Canto de anúncio: machos de Allophryne relicta vocalizaram em vegetação herbácea e arbustiva entre 20 cm e 120 cm de altura nas margens de um fluxo de água temporário, em uma plantação de cacau.
Canto de anúncio formado por uma nota multipulsada de 0,029 +/- 0509 s (intervalo = 0.448–0.565 s) em duração, emitida em intervalos de 1.287 +/- 0.500 s (0,745-4,213 s), com notas compostas por 25- 32 pulsos (X = 28,58 +/- 1,84) e tendo uma frequência dominante de 3828 +/- 82,28 Hz (faixa = 3750–3962 Hz). A emissão de notas taxa foi de 34,46 notas/min e o pulso taxa de emissão média de 56,13 +/- 1,25 s (50,51–59,39 s).

Variações de canto

Reprodução

Espécimes de Allophryne relicta foram encontradas após fortes chuvas. Pequenas aglomerações de 10 a 20 indivíduos em folhas de arbustos nas margens de um fluxo de água temporário de aproximadamente 2 m de largura. Os indivíduos permaneceram no curso de água por um período de tempo curto.
Ativos apenas no período noturno com chuvas torrenciais que resultaram no enchimento da poça temporária. Na noite seguinte às chuvas fortes, apenas poucos machos se encontraram esporadicamente no sítio de vocalização, o que tornou o territorialismo difícil de determinar. O fluxo que surgiu anteriormente secava e permaneciam apenas algumas poças.
Assim, a reprodução é explosiva. Esse fato pode explicar o porquê de essa espécie não ter sido descoberta em estudos anteriores conduzidos na região.
O sítio reprodutivo consiste nas bordas de fluxos de água e poças temporárias.

Sítios reprodutivos

Modo reprodutivo

Época reprodutiva

Tipo de desenvolvimento

Direto, ou seja, com a presença de girinos.

Girinos

História Natural

Aguardando essa informação.
Aguardando essa informação.
Aguardando essa informação.

Morfologia

Aguardando essa informação.
Ainda não encontramos.
Aguardando essa informação.

Créditos

Fotografias

Ilustrações

Vocalizações

Colaborador da página

Leticia Watanabe
Via: Herpeto Capixaba
Caramaschi, U., Orrico, V.G.D., Faivovich, J., Dias, I.R. & Solé, M. (2013). A new species of Allophryne (Anura: Allophrynidae) from the Atlantic rain forest biome of eastern Brazil. Herpetologica 69(4): 480-491.

Castroviejo-Fisher, S., Perez-Pena, P.E., Padial, J.M. & Guayasamin. J.M. (2012). A second species of the family Allophrynidae (Amphibia: Anura). American Museum Novitates 3739:1–17.